Sorriso, um mero detalhe.

Noites frias são comuns nas nossas vidas, não adianta praguejar pelo destino. Ele está em algum lugar distante a todas reclamações, desse modo pergunto: porque se importar se algo poderia ser ou não diferente? As coisas que já foram não podem mais ser repetidas, as palavras vazias tentadas ao relento são a única expressão que você pode tentar entrever no limiar das diferentes opiniões. Todos nós procuramos ser compreendidos, mas para quê? Se tão rapidamente seremos julgados como errados? Não adianta querer fazer tudo correto, você irá errar! Isso é inevitável. Então o que nos resta? Já não mais nada do que caminhar e por mais que fuja dos rótulos terá algum momento que você será taxado por alguém. Esse alguém pode não ser importante naquele instante da sua vida, mas será importante para o restante do caminho, já que aquele rótulo te perseguirá e por mais que venha negar as características que o compõe te perseguirá e fatalmente dará razão ao teu rótulo.

Entretanto, não se engane que não se tem mais saída, que tudo está consumado e que o vermelho se tornou a única cor, a cor do pavilhão que sua pessoa caminha inconsciente para a última súplica de arrependimento. Não há espaço para arrependimento, seja íntegro com você mesmo. Dizer que os outros não te trataram bem não importa para os ouvidos já delineados pelos comportamentos impostos pela tradição, o que lhe resta é viver. Vida que não pode ser simplificada em mero valores ou pela busca de uma razão maior do que lhe aparenta. Pois a aparência reina quando estamos buscando por essências, porque essas não são possíveis a nós… Para o fim de tudo isso, deixe o sorriso penetrar na sua personalidade, não feche a boca para as dificuldades, pois por mais que fique rodeado de amigos no momento mais especial para você, estará só e com isso terá de lidar com as intempéries consigo mesmo, o seu grande inimigo. Porém ao fim de tudo notará que o sorriso é um mero detalhe, mas te fortifica para enfrentar os fantasmas que você mesmo criou.